segunda-feira, 30 de novembro de 2009

ALIADOS DE ARRUDA FAZEM ORAÇÃO APÓS RECEBEREM PRPINA

A série de vídeos produzidos no âmbito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, traz à tona novas cenas isólitas sobre denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal.

Deputados distritais, assessores e o próprio governador do DF, José Roberto Arruda (DEM), foram filmados recebendo dinheiro e guardando maços de notas em pastas, envelopes, bolsos e até dentro de meias.

Em um dos últimos vídeos (abaixo) divulgados, com imagens de distribuição de dinheiro gravadas por Durval Barbosa, ex-assessor de Arruda e colaborador da PF, o deputado Rubens César Brunelli (PSC), de camisa roxa, o atual presidente da Câmara, Leonardo Prudente (DEM), de camisa branca (que aparece em outra gravação guardando dinheiro na meia) e Durval Barbosa agradecem a Deus pela suposta propina.

Impeachment

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) defende a abertura de processo de impeachment contra o governador do Distrito Federal. Enquanto isso, grande parte do Democratas já pensa na desfiliação de Arruda, acusado de coordenar o esquema de corrupção. A informação é do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), em entrevista à Agência Brasil.


"Existe um fato e denúncias. Contra fatos e denúncias, o combate são fatos e não versões. É assim que funciona. Vamos dar ao governador o espaço que ele precisa para se explicar. Mas o clima de desconforto é grande. Aguardamos a defesa dele, mas grande parte do DEM pensa na desfiliação e até na expulsão", disse o senador.

Em nota, Arruda e o vice, Paulo Octávio, manifestaram-se em nota nesta segunda-feira, dois dias depois de deflagrada a operação pela PF. No documento, eles dizem que Durval Barbosa, ex-diretor de Relações Institucionais do Distrito Federal, agiu de "forma capciosa e premeditada" para prejudicá-los com uma "versão mentirosa dos fatos para tentar manchar o trabalho sério e bem sucedido que tem sido feito pela nossa administração".

"Estamos tranquilos, porque sabemos de nossa inocência, e confiamos no sereno e isento trabalho da Justiça de nosso país, onde a verdade sempre acaba se afirmando", dizem.


Com Agência Estado

CECÍLIA MEIRELES


Cecília Meireles

4o. Motivo da rosa
Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.
Rosas verá, só de cinzas franzida,
mortas, intactas pelo teu jardim.
Eu deixo aroma até nos meus espinhosao longe,
o vento vai falando de mim.
E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.
Encomenda
Desejo uma fotografia como esta
— o senhor vê? — como esta:
em que para sempre me ria
como um vestido de eterna festa.
Como tenho a testa sombria,
derrame luz na minha testa.
Deixe esta ruga, que me empresta
um certo ar de sabedoria.
Não meta fundos de floresta
nem de arbitrária fantasia...
Não... Neste espaço que ainda resta,
ponha uma cadeira vazia.
Motivo
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei.
Não sei se fico
ou passo.Sei que canto.
E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:— mais nada.
Escrito por Joel Bueno às 08h21

O TOMBO

A CREDIBILIDADE DO IBOPE EM XEQUE II

A CREDILIDADE DO IBOPE EM XEQUE

A CREDILIDADE DO IBOPE EM XEQUE

Carlos Agusto Montenegro, não gosta do Presidente Lula.

Não disse isso com todas as letras.

Mas, em uma entrevista Montenegro disse que apesar da imensa popularidade do Presidente

Lula,, ele não conseguirá fazer o sucessor – no caso, a ministra Dilma Rousseff.

Também afirmou que o PT está em processo de decomposição.

O dono de um instituto, que faz pesquisas envolvendo candidatos à presidência, pode expressar sua opinião pessoal?.

Pior, ele pode mostrar claramente ao eleitorado que tem candidato, e declarar Serra eleito?.

Pelo menos é isso que entendemos quando ele disse, na mesma entrevista, "Faltando um ano para as eleições, o governador de São Paulo, José Serra, lidera as pesquisas das intenções de voto.

Em 1998, também faltando um ano para a eleição, o líder de então, Fernando Henrique Cardoso,

ganhou". Qual a opinião de vocês?


Enviar por e-mail: Por: Helena™ . Segunda-feira, Novembro 30, 2009 Comentarios (8) Trackback Links para esta postagem

SUSAN BOYLE

I DREAMED A DREAM - Susan Boyle

MILAGRE


Na quinta feira, dia nove, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para ir fazer um lanche rápido em uma pizzaria na esquina das ruas Yafo e Mêlech George no centro de Jerusalém.

O estabelecimento estava superlotado. Logo ao entrar na pizzaria, Moshê percebeu que teria que esperar muito tempo numa enorme fila, se realmente desejasse comer alguma coisa - mas ele não dispunha de tanto tempo.Indeciso e impaciente, pôs-se a ziguezaguear por perto do balcão de pedidos, esperando que alguma solução caísse do céu.

Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelense perguntou-lhe se ele aceitaria entrar na fila na sua frente. Mais do que agradecido, Moshê aceitou. Fez seu pedido, comeu rapidamente e saiu em direção à sua próxima reunião.

Menos de dois minutos após ter saído, ele ouviu um estrondo aterrorizador. Assustado, perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele acabara de percorrer o que acontecera. O jovem disse que um homem-bomba acabara de detonar uma bomba na pizzariaSbarro`s...

Moshê ficou branco. Por apenas dois minutos ele escapara do atentado. Imediatamente lembrou do homem israelense que lhe oferecera o lugar na fila.Certamente ele ainda estava na pizzaria. Aquele sujeito salvara a sua vida e agora poderia estar morto.Atemorizado, correu para o local do atentado para verificar se aquele homem necessitava de ajuda. Mas encontrou uma situação caótica no local.

A Jihad Islâmica enchera a bomba do suicida com milhares de pregos para aumentar seu poder destrutivo. Além do terrorista, de vinte e três anos, outras dezoito pessoas morreram, sendo seis crianças. Cerca de outras noventa pessoas ficaram feridas, algumas em condições críticas.As cadeiras do restaurante estavam espalhadas pela calçada.Pessoas gritavam e acotovelavam-se na rua, algumas em pânico, outras tentando ajudar de alguma forma.Entre feridos e mortos estendidos pelo chão, vítimas ensangüentadas eram socorridas por policiais e voluntários. Uma mulher com um bebê coberto de sangue implorava por ajuda. Um dispositivo adicional já estava sendo desmontado pelo exército.

Moshê procurou seu 'salvador' entre as sirenes sem fim, mas não conseguiu encontrá-lo.

Ele decidiu que tentaria de todas as formas saber o que acontecera com o israelense que lhe salvara a vida. Moshê estava vivo por causa dele. Precisava saber o que acontecera, se ele precisava de alguma ajuda e, acima de tudo, agradecer-lhe por sua vida. O senso de gratidão fez com que esquecesse da importante reunião que o aguardava.Ele começou a percorrer os hospitais da região, para onde tinham sido levados os feridos no atentado.Finalmente encontrou o israelense num leito de um dos hospitais. Ele estava ferido, mas não corria risco de vida.

Moshê conversou com o filho daquele homem, que já estava acompanhando seu pai, e contou tudo o que acontecera. Disse que faria tudo que fosse preciso por ele. Que estava extremamente grato àquele homem e que lhe devia sua vida. Depois de alguns momentos, Moshê se despediu do rapaz e deixou seu cartão com ele. Caso seu pai necessitasse de qualquer tipo de ajuda, o jovem não deveria hesitar em comunicá-lo.

Quase um mês depois, Moshê recebeu um telefonema em seu escritório em Nova Iorque daquele rapaz, contando que seu pai precisava de uma operação de emergência. Segundo especialistas, o melhor hospitalpara fazer aquela delicada cirurgia fica em Boston, Massachussets.Moshê não hesitou. Arrumou tudo para que a cirurgia fosse realizada dentro de poucos dias. Além disso, fez questão de ir pessoalmente receber e acompanhar seu amigo em Boston, que fica a uma hora de avião de Nova Iorque.Talvez outra pessoa não tivesse feito tantos esforços apenas pelo senso de gratidão. Outra pessoa poderia ter dito 'Afinal, ele não teve intenção de salvar a minha vida: apenas me ofereceu um lugar na fila 'Mas não Moshê. Ele se sentia profundamente grato, mesmo um mês após o atentado. E ele sabia como retribuir um favor.

Naquela manhã de terça-feira, Moshê foi pessoalmente acompanhar seu amigo - e deixou de ir trabalhar. Sendo assim, pouco antes das nove horas da manhã, naquele dia onze de setembro de 2001. Moshê não estava no seu escritório no 101º andar do World Trade Center Twin Towers.

(Relatado em palestra do Rabino Issocher Frand)'Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.' Salmos 100:4

ANGLA GEO




Victor Dzenk domina a passarela com sua moda e acessórios de Angela Geo



na Minas Trend!

No que depender do terceiro dia de desfiles da 5ª edição do Minas Trend

Preview, que rola até este sábado em Belo Horizonte, o foco estratégico

nos ombros vai ter fôlego de sobra para continuar tendência no inverno

2010.

Hit nas passarelas internacionais - como lançou a Balenciaga ou como


fez a Balmain no último desfile de primavera da marca - os ombros com

volumes localizados também despontam nas coleções mineiras.

Leia em Glamurama - Joyce Pascowitch; Angla Jóias e Angela Geo.

www.anglajoias.com.br

ARRUDA MENTINDO

GLOBO NADA A VER

NATAL DEVE SER O MELHOR DA DÉCADA


Agência Estado -
O Natal deste ano será o maior da década. O faturamento real do comércio em dezembro deste

ano, já descontada a inflação, deve atingir R$ 91,9 bilhões, segundo projeções da MB Associados

feitas com base na Pesquisa Mensal de Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

(IBGE). O acréscimo de vendas esperado para dezembro, comparado com o mesmo mês de 2008

é de R$ 10,4 bilhões. É uma cifra dez vezes maior que a expansão na receita das lojas registrada

em dezembro do ano passado, que foi de apenas R$ 978 milhões em relação ao ano anterior.

Benefícios fiscais, como isenção de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para vários

setores, como automóveis, geladeiras, máquinas de lavar, materiais de construção e, agora,

móveis, combinados com aumento do salário do funcionalismo público, do Bolsa Família e a

política monetária mais frouxa, sustentam o maior Natal da década, explica o economista-chefe

da consultoria e responsável pela projeção, Sergio Vale.

“Mas o fator preponderante para a ampliação do consumo de Natal é a política fiscal”, ressalta o

economista.

“Vai vender tudo neste Natal”, prevê o economista da Associação Comercial de São Paulo

(ACSP), Emílio Alfieri.

Isso significa que, depois de vários Natais da “lembrancinha”, este poderá ser também o Natal

dos presentes de maior valor. O economista da ACSP faz essa previsão com base em dados deste

mês. Na primeira quinzena de novembro, pela primeira vez no ano, o número de consultas para

vendas a prazo cresceu em relação a igual período do ano passado. O acréscimo foi de 0,7%, mas

indica uma mudança importante na tendência, pois até outubro só houve quedas ante 2008.

Entre as vendas a prazo e à vista, que praticamente não foram afetadas neste ano, Alfieri diz que

a entidade espera um acréscimo entre 5% e 6% no número de consultas em dezembro, em

relação ao mesmo mês de 2008. “Neste ano, as vendas a prazo e à vista no Natal estarão

equilibradas”, diz. Ele lembra que no Natal de 2008 houve crescimento apenas nas compras à

vista porque os financiamento foram afetados com a crise de crédito, que provocou redução de

prazos de pagamento e subida dos juros.
Chora oposição, enfia o dedo no nariz e rasga. É governo Lula, estúpidos

A CREDIBILIDADE DO IBOPE EM XEQUE


Carlos Agusto Montenegro, não gosta do Presidente Lula.Não disse isso com todas as letras, Mas,

em uma entrevista Montenegro disse que apesar da imensa popularidade do Presidente Lula,,

ele não conseguirá fazer o sucessor – no caso, a ministra Dilma Rousseff.

Também afirmou que o PT está em processo de decomposição.

O dono de um instituto, que faz pesquisas envolvendo candidatos à presidência, pode expressar sua opinião pessoal?.

Pior, ele pode mostrar claramente ao eleitorado que tem candidato, e declarar Serra eleito?.

Pelo menos é isso que entendemos quando ele disse, na mesma entrevista, "Faltando um ano

para as eleições, o governador de São Paulo, José Serra, lidera as pesquisas das intenções de

voto.

Em 1998, também faltando um ano para a eleição, o líder de então, Fernando Henrique Cardoso, ganhou".

Qual a opinião de vocês?

Helena™ . Segunda-feira, Novembro 30, 2009

A PONTE MAIS ALTA DO MUNDO

CAMPANHA A FAVOR DE CÃES ABANDONADOS

CAMPANHA A FAVOR DE CÃES ABANDONADOS

AJUDE CÃES ABANDONADOS ASSISTINDO O VÍDEO DA PEDIGREE

O MELÔ DE JOSÉ SERRA

AQUI JAZ JOSÉ SERRA E O PIG - PARTIDO IMPRENSA GOLPISTA

BYE,BYE, JOSÉ SERRA 2010

RAUL JUNGMANN, CUBRA O TELHADO DE VIDRO DO PPS COM URGÊNCIA!




Jungmann, não precisa avisar ao Roberto Freire sobre oque ocorreu no GDF, pois ele já sabia.
PPS SE PREPARA PARA DEIXAR BASE DE APOIOA ARRUDA NO DISTRITO FEDERAL
Renata Giraldi/ABr - Brasília –
O PPS se prepara para deixar a base aliada do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM). As executivas nacional e no DF devem se reunir na terça-feira (1º) em Brasília para definir a questão e recomendar que o secretário de Saúde, Augusto Carvalho, peça exoneração do cargo em decorrência das denúncias de corrupção investigadas pela Polícia Federal na operação Caixa de Pandora.
Integrante da executiva nacional do PPS, o deputado federal Raul Jungmann (PE) disse à Agência Brasil que não há condições de seu partido manter-se ao lado de Arruda. “Conversei muito com o presidente do partido, Roberto Freire, e ele me disse que não há condições de continuidade, no que eu concordo integralmente”.
De acordo com Jungmann, a executiva do PPS deve se reunir em Brasília até terça-feira para definir a questão. “É constrangedor também para o Augusto Carvalho, que é sério e tem uma história construída com ética”.
Arruda e seu vice, Paulo Octávio, ambos do DEM, assessores do governo do Distrito Federal, deputados distritais e empresários estão no centro das denúuncias investigadas pela Polícia Federal, que apontam a existência de um suposto e complexo esquema de corrupção.
No esquema haveria superfaturamento de contratos, irregularidades em licitações e pagamentos de propinas. Segundo das apurações, cerca de R$ 600 mil foram repassados por meio de arrecadação de empresas privadas que mantêm contratos com o governo do Distrito Federal.

Postado por prof. DiAfonso às Domingo, Novembro 29, 2009

SEGUNDO INVESTIGAÇÕES DA PF ROBERTO FREIRE DO PPS RECEBIA A PROPINA



Em vídeo, aliado de Arruda guarda dinheiro nas meias.


Novas imagens flagram 3 deputados distritais e outros assessores do democrata.


Nas gravações, o presidente da Câmara Legislativa, Leonardo Prudente, aparece guardando maços de notas nos bolsos e até nas meias.


O secretário de Saúde do DF, Augusto Carvalho, deputado federal licenciado pelo PPS, teve o nome citado em conversa gravada pela PF.


De acordo com transcrição do diálogo entre Barbosa e José Geraldo Maciel, afastado da Casa Civil, Carvalho recebia "retribuição de contratos".

Também teriam sido beneficiados Fernando Antunes e Roberto Freire, presidentes


nacional e regional do partido, respectivamente. Todos negam participar da fraude.


Roberto Freire, figura de proa do velho "Partidão", presidente nacional do PPS, e que posa e gosta de se apresentar como um dos "paladinos" da moralidade em nosso país.


Recebe jetons no valor de R$ 12 mil mensais da prefeitura de São Paulo,



pela participação em dois conselhos da Prefeitura paulistana – da Empresa Municipal de


Urbanização (EMURB) e da SPTurismo.


Roberto Freire é ligado do DEM como unha e carne, é ,um dos que apoiam Serra presidente.


CESAR BENJAMIN É FUNCIONÁRIO DE REQUIÃO





César Benjamin aparece como diretor-presidente da TV Educativa do Paraná, do Governador Requião (PMDB/PR).




Ao consultar a lista de funcionários da Secretaria de estado de Administração é previdência








E consultar o órgão RTVE, como mostrado abaixo:


Cesar Benjamim aparece como DIRETOR PRESIDENTE, DAS-1


Ao assinar o artigo na Folha, Benjamin não menciona esse cargo.




Quem exerce esta função é o jornalista Marcos Batista (segundo o jornalista paranaense Zé Beto).




Requião se cerca de Mangabeira Unger (que, antes de 2006, desferiu ataques pesados contra Lula) e agora de César Benjamin




.O que está por trás disso?
Enviar por e-mail: Por: Zé Augusto . Domingo, Novembro 29, 2009

QUEM FINANCIA O UOL , APÓIA A FOLHA



Quem está insatisfeito com a linha editorial do jornal Folha de São Paulo, não adianta reclamar de

"Otavinhos" e continuar forrando os bolsos dos donos do Grupo Folha.


É imperativo aos indignados cancelar e persuadir conhecidos, também


insatisfeitos, a cancelar assinaturas da Folha e do UOL.



Segundo o blog do Nassif, do total de receitas do UOL, entre 70 a 80% do dinheiro vem de assinaturas.No final das contas, é esse dinheiro que paga não só a fortuna e poder econômico dos donos, como também paga os salários dos editores e colunistas que tem o emprego de ficar 8 ou mais horas por dia conspirando, deturpando a notícia, propagando boatos, inventando dossiês, fichas falsas, criando falsas crises, alarmismos, assassinando reputações, e protegendo a corrupção tucana ao esconder os escândalos que afetam José Serra.



Enquanto funcionar o "fale mal, mas pague o boleto", eles vão continuar rindo da nossa cara e elevando o tom da baixaria.As polêmicas acabam tendo o efeito de propaganda para aumentar a influência do jornal na geração de crises, aumenta seu cacife perante os governadores de oposição, como José Serra (PSDB/SP), e alavanca vendas para leitores neocons.


Cancele sua assinatura com o UOL e conecte seu speedy gratuitamente


Basta você escrever no campo login:


internet@speedy.com.br a senha é internet


Ou:


portal@itelefonica.com.br senha: telefonica


Enviar por e-mail: Por: Zé Augusto . Segunda-feira, Novembro 30, 2009

MENSALÃO DO SERRA: ROUBALHEIRA NO DETRAN SOME COM R$ 40 MILHÕES


Esquema desvia R$ 40 milhões do Detran de SP
Pagamentos de contratos para emplacar carros seriam superfaturados em 200%; laranjas controlam empresas
SÃO PAULO – Empresas contratadas pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para emplacar veículos em São Paulo são acusadas de fraudes que deram prejuízo estimado de pelo menos R$ 40 milhões. Delegados e empresários são suspeitos de participar do suposto esquema milionário. Laranjas controlariam a principal empresa contratada pelo departamento.
A fraude principal seria o superfaturamento de até 200% da medição dos serviços contratados. Ela envolveria centenas de Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) de São Paulo – o Estado tem 344. O esquema era simples. As Ciretrans enviavam todo mês ao Detran um documento atestando que a empresa emplacara mais carros do que havia efetuado. O atual diretor do Detran, Carlos José Paschoal de Toledo, suspendeu os pagamentos nos últimos três meses e constatou que as empresas deviam receber só um terço do que pleiteavam. Passou a pagar só o que devia.

Saiu no EstadãoEDUARDO GUIMARÃES
O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do estado de São Paulo contrata empresas para emplacar veículos.As empresas Cordeiro Lopes e Centersystem fraudavam o número de carros que havia emplacado, e o DETRAN pagava até 3 vezes mais do que o valor real.O superfaturamento gerou rombo de pelo menos R$ 40 milhões aos cofres públicos.Delegados e empresários são suspeitos de participar do suposto esquema milionário. Laranjas controlariam a principal empresa contratada pelo departamento.Os pagamentos a mais eram feitos sem que o DETRAN confrontasse a prestação de contas das empresas com os registros de veículos emplacados. Eram as prestações de contas das empresas que serviam de comprovação para a liberação dos pagamentos pelo governo. Quem mandava pagar com base nesse documento era a Divisão de Administração do Detran.O presidente da Associação dos Fabricantes de Placas de Automóveis, Hélio Rabello Passos Junior, denunciou o caso à Secretaria da Segurança Pública em 3 de julho. O titular da pasta, Antônio Ferreira Pinto, determinou a apuração. Ao depor na Corregedoria da Polícia Civil, ele enumerou 14 tipos delas que, somadas, teriam causado prejuízo em R$ 40 milhões - a Centersystem recebeu R$ 9 milhões pelos serviços de janeiro de 2008 a julho deste ano e a Cordeiro, R$ 64,8 milhões.O empresário já havia denunciado antes, quando o diretor do Detran era o delegado Ruy Estanislau Silveira Mello. "Mas nada foi feito. O Detran decidiu prorrogar tais contratos, contrariando novamente os princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade e eficiência", afirmou, ao depor.

PIG - PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA



Escrevo ainda perplexo pelo que acabo de ler. A Folha de São Paulo publicou uma “análise” de um ex-militante do PT acusando o presidente da República, senhor Luiz Inácio Lula da Silva, de lhe ter confessado que certa vez tentou estuprar um jovem.
Não vou reproduzir ou sequer “linkar” aquilo. Exala um mau cheiro só comparável ao de quem escreveu e ao de quem publicou.
Mas é preciso denunciar. É preciso expor até onde a direita pensa em ir no ano
que vem.
Que órgão de imprensa publicaria alguma coisa desse gênero contra um tucano.
Uma mera pulada de cerca de FHC foi ocultada por 18 anos.
Uma acusação dessas, contra ele, jamais seria publicada. Aliás, acho que não seria publicada contra ninguém, não dessa forma.
Diante da reação de Dilma Rousseff nas pesquisas, diante do fracasso rotundo do golpe do Apagão, esses meliantes que dirigem o jornal supra mencionado foram desencavar algum ressentido fraco dos miolos. Querem obrigar Lula a processá-lo, é claro – e, com sorte, até ao próprio jornal.
Essa é apenas uma amostra do que pretendem fazer em 2010.
É evidente que tentarão dar asas a essa história imunda no ano que vem. Sem provas, a palavra de um contra a do outro, como fizeram com Lina Vieira.
Chegou a hora de os homens (e, quando digo homens, quero dizer homens e
mulheres) dignos das calças que vestem começarem a pensar no maior ato
público que este país já viu. Um ato de repúdio a essa ultrapassagem fétida de
todos os limites da ética.

Post Scriptum 1 :
Vocês se lembram do que eu disse quando a Folha divulgou, com um pequeno atraso de 18 anos, a história do filho de FHC com a jornalista, e do que eu disse sobre aquela história do Claudio Humberto de falar sobre mais um filho bastardo do tucano?
Post Scriptum 2:
Está explicada a divulgação da existência do(s) filho (s) bastardo (s) de FHC.
Post Scritptum 3:
Estou aqui esperando que todos os comentaristas de São Paulo venham se prontificar a ir à porta da Folha dizer na cara desses vermes tudo o que pensamos deles. De novo.
Post Scriptum 4:
E quem quer apostar que o tal jovem que teria sido "quase" estuprado por Lula irá "aparecer"?
Escrito por Eduardo Guimarães às 13h49

MOVIMENTO DOS SEM MÍDIA FARÁ ATO CONTRA A FOLHA


Conversei com o diretor jurídico do Movimento dos Sem Mídia e concluímos que cabe, sim, à
ONG assumir a responsabilidade pelo ato público convocado para o dia 5 de dezembro próximo
diante do jornal Folha de São Paulo. Se algum estupro aconteceu nesse episódio da publicação de
ataque à honra do presidente da República na edição de 27 de novembro de 2009 do jornal Folha
de São Paulo, esse estupro foi do jornalismo.
O Movimento dos Sem Mídia foi criado para protestar contra mau jornalismo, e é mau jornalismo
o que fez o jornal paulista no episódio da publicação de artigo injurioso do ativista político Cesar
Benjamin, que afirmou que o presidente Lula teria lhe confessado que tentou estuprar um jovem
durante a ditadura militar.
Eis os erros da Folha:
1. Não ouviu o lado acusado.
2. Não ouviu gente ligada ao acusado e ao acusador.
3. Transformou uma acusação grave ao primeiro mandatário da nação em um julgamento sumário ao dar voz a um só lado.
4. Publicou a matéria acusatória de forma sorrateira – uma acusação daquelas perdida no meio de um texto enorme.
5. Deu curso ao julgamento sumário de uma acusação sem qualquer prova ao publicar cartas de leitores decretando a culpa do presidente da República, mesmo tendo permitido a defesa de outros leitores (mas só no dia posterior ao da acusação), como se ele estivesse em um julgamento, só que de um “crime” que, até prova em contrário, jamais existiu.
6. Diferiu de atitude em relação a Lula e a FHC em quase duas décadas, mostrando parcialidade. O resultado dessa vergonha pseudo jornalística é um trauma moral – e que poderia (?) se tornar um grave prejuízo político – irreversível para o presidente da República, representante de toda essa maioria esmagadora de cidadãos brasileiros que votou nele e que, notoriamente, continua apoiando-o.
Em suma, se não preservou o direito daquele que foi acusado sem qualquer prova, o jornal fez exatamente aquilo que combate a ONG Movimento dos Sem Mídia.
Dessa maneira, reafirmo aqui, em nome do MSM, que, no próximo dia 5 de dezembro, às dez horas da manhã, acontecerá um ato público que poderá ser de meia dúzia de pessoas ou de várias centenas, como aconteceu em 7 de março deste ano por conta da tese do mesmo jornal de que a ditadura militar brasileira teria sido uma “ditabranda”.
Ao signatário deste blog isso não importa (a quantidade de manifestantes). Desta vez, limitar-me-ei a fazer aqui, durante a próxima semana, os comentários que achar necessários para que o ato aconteça.
O importante é que esse ato aconteça, que essa gente saiba que há cidadãos que não se deixam intimidar, que as reações a qualquer ameaça ao Estado de Direito ocorrerão por menos que sejam os que ousarem reagir, pois enquanto houver quem reaja eles saberão que poderão fracassar.
O que está em jogo, neste momento, são as verdades de cada um de nós, tudo aquilo em que acreditamos – ou tudo aquilo que dizemos que acreditamos. As omissões não pesarão aos poucos que se manifestarem, mas aos omissos, e omisso é quem acredita em alguma coisa e busca desculpas para não ter o trabalho de defender o próprio ideário.
Reitero, pois, que este que escreve cumprirá sua promessa de ir dizer, diante desse jornal irresponsável e ladino, tudo o que deve ser dito em alto e bom som. E o que me facultará fazê-lo, mais uma vez, será o megafone do Movimento dos Sem Mídia, aparato que eu e os que comungam com meus ideais já usamos tantas vezes.
Atualizado às 19h30m de 28 de novembro de 2009 EDUARDO GUIMARÃES
PARTICIPE DA MANIFESTAÇÃO CONTRA O PIG - PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA
Dia 05 de outubro de 2009 em frente a qualquer um dos locais que a Folha de São Paulo tem representação.

"CASSETA E PLANETA" PODE REPERCUTIR ACUSAÇÃO A LULA?


Marcelo Madureira e Ana Paula Arósio ( que foi "contaminada" e virou policial no Casseta e Planeta)
Andei pensando: será que o mesmo Marcelo Madureira do programa humorístico "Casseta e
Planeta", da Globo, que andou escrevendo cartinhas à Folha endossando a acusação de Cesar
Benjamin a Lula e que, semana sim, outra também desanca o presidente em seu programa,
não i rá levar essa leviandade para a edição desta semana do humorístico da emissora que o
emprega e que tem lhe permitido tantos outros ataques?
EDUARDO GUIMARÃES
Marcelo Madureira é do
Não financie a baixaria. Anunciou no Casseta?, não compre!

Na nota abaixo, a Folha usou o Painel do leitor, para atacar Lula e os eleitores do Presidente.
"Em tempos de unanimidades, bajulação, mentiras, censuras veladas e neoperonismos, o corajoso
e sensível depoimento de César Benjamin só vem confirmar aquilo de que eu já desconfiava havia
muito tempo: que o Brasil está sendo governado por um bando de cafajestes sem escrúpulos.
E o que é pior: recebem indenizações pelas suas cafajestadas.
Parabéns a César Benjamin e a esta Folha."
MARCELO MADUREIRA, "Casseta & Planeta' (Rio de Janeiro, RJ)
(Folha, 28 de novembro
PIG - PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA

O 'PRÍNCIPE' DA ERVA



Em meados da década de 1970, nas noites de sábado garotos da minha idade costumavam sair por São Paulo em busca de festas. Em uma dessas noites, eu e meu grupo fomos percorrendo os bairros nobres da cidade em busca das melhores, das festas dos ricos, em busca das “gatas” mais bonitas.
Muitas vezes entrávamos como penetras. Aliás, na maioria das vezes. E, naquele sábado, não foi diferente. Acabamos lá perto da Praça Panamericana, numa rua arborizada, diante de uma mansão em que jovens entravam e saíam livremente. Não havia maior preocupação com segurança. Era só chegar e entrar. Eram outros tempos...
Passando o portão alto, adentramos um gramado bem cuidado, com canteiros de flores e árvores, onde grupos de rapazes e moças ou só de rapazes ou só de moças bebiam, conversavam, fumavam muita maconha e davam aquela cafungadinha num pozinho branco que dispensa apresentações.
Havia, também, um grupo bastante distinto, de meia idade, formado só por homens e uma única garota de, mais ou menos, uns dezoito anos. Ela parecia bastante embriagada e os senhores quarentões não perdiam a chance de “apará-la” quando, brincando, simulava que ia cair. E a droga rolava solta ali no meio.
Quem diria que aquele quarentão bem apessoado, de cabelos algo longos, bem
trajado, que fumava maconha como uma chaminé e não conseguia manter as
mãos longe da garota embriagada, um dia viria a se tornar o “príncipe da
sociologia” brasileira e, depois, presidente da República por um partido que tem o
tucano como símbolo.



Obviamente que o que você leu acima deve ser uma ficção, coisas de alguma mente delirante, ou seja, da minha mente, num sonho que tive quando jovem, nada que você, leitor, deva levar muito a sério, até porque não haveria como comprovar tal história.
Mas escrevi isso aí em cima para perguntar que jornal poderia publicar o relato. Afinal, que credibilidade o tal Cesar Benjamin, que acusou Lula de tentativa de estupro, tem mais do que eu? Por que a Folha não publica meu relato sem que eu, como Benjamin, ofereça qualquer prova de que é verdadeiro?
Isso se chama escolha política de “notícias”.
Apesar de que, na verdade, não há notícia nenhuma. Até que eu prove que digo a verdade, não passa de uma mentira e eu poderia ser processado por ela, a menos que, depois de mentir, eu dissesse o que fiz no mesmo texto, como de fato ocorreu.
Só que, para acusar aqueles dos quais não gosta, a Folha não é tão criteriosa. Nem, muito menos, o resto da imprensa, que está repercutindo, aqui e ali, a acusação a Lula. Sem alarde. Os leitores de Folhas, Estados e Globos sairão por aí contando que Lula é estuprador, gay, pedófilo.
Basta ler as cartas de leitores da Folha no sábado e no domingo, ou a coluna de Eliane Cantanhêde, ou a de Dora Kramer, ou a de Augusto Nunes, ou a de Ricardo Noblat, ou a de Reinaldo Azevedo, que, entre tantos outros, já tratam Lula como culpado da acusação de tentativa de estupro.
Planta-se a semente. Essas pessoas que vocês leram nos comentários dos posts anteriores condenando Lula pela acusação de Cesar Benjamin, nesta segunda-feira já estarão em seus trabalhos contando que o presidente da República, além de tudo, é um maníaco sexual.
O que fazer contra essa indignidade?
A – Escrever cartas de reclamação aos jornais que deram asas à história
B – Reclamar com o Bispo
C – Deixar de comprar os exemplares desses jornais e revistas, os quais o
governador José Serra arrematará depois usando o dinheiro dos paulistas
D – Confiar na sorte, ou seja, em que o povo não acredita em nada que digam
contra Lula
E – Ir para diante desse jornal safado que publicou acusação fantasiosa como a
que escrevi lá em cima, só que contra Lula, e dizer, ao megafone, tudo que
pensamos
Faça a sua escolha, leitor.

Atualizado às 23h24m de 29 de novembro de 2009

LIVRO CONTA "CAUSOS" POR TRÁS DE MÚSICAS DE CHICO BUARQUE


"Histórias de Canções - Chico Buarque " tem esse título e 356 páginas, o que sugere uma penca
de explicações sobre as origens das músicas do compositor. Não é exatamente assim.
O livro de Wagner Homem, parte do primeiro pacote de lançamentos no Brasil da editora
portuguesa Leya, tem muitas informações biográficas, contextualizações históricas, as
necessárias transcrições de letras, além de acontecimentos relativos às músicas, como os
embates com a censura na década de 70.
Os "causos" das canções talvez não sejam maioria, mas são o que há de mais saboroso.

Muita gente não deve saber, por exemplo, que "Olhos nos Olhos", um clássico da frustração
amorosa, nasceu depois de uma visita de Chico ao dramaturgo Paulo Pontes (1940-1976),
quando o amigo já estava bastante doente. Ou que "Bastidores" e "Dura na Queda" não foram
feitas pensando-se, respectivamente, em Cauby Peixoto e Elza Soares. Ou que, depois do
codinome Julinho da Adelaide, ele cogitou criar Pedrinho Manteiga.
Outras histórias são mais conhecidas para quem acompanha de perto o compositor, como a troca
de gentilezas na parceria com Vinicius de Moraes -- "Gente Humilde" só tem um verso de Chico;
em "Desalento" ocorre o inverso.
Músicas recentes
Wagner Homem sintetiza informações que estão em outros livros, em entrevistas, DVDs e
correspondências -- com Vinicius e Tom Jobim, por exemplo.
"Comecei na década de 60 a comprar tudo o que saía sobre Chico. De repente, eu me dei conta de
que era um colecionador", afirma o autor, que organizou em 1989 as letras de "Chico Buarque:
Letra e Música" (com textos de Humberto Werneck) e criou em 1998 o site do compositor, do
qual cuida até hoje.
A proximidade nos últimos anos explica por que há mais informações sobre as músicas recentes,
inclusive histórias como a de "Cecília" (1998): Chico se irrita ao se lembrar de uma namoradinha
homônima que teve em Itápolis (359 km de SP) e que poderia se sentir equivocadamente
homenageada. Pois, a partir da enxurrada de e-mails que o site recebeu, Homem confirma que
foi exatamente o que aconteceu.
CHICO BUARQUE - HISTÓRIAS DE CANÇÕES
Autor: Wagner Homem
Editora: LeyaQuanto: R$ 44,90 (356 págs.)
10/10/2009 - 08h
LUIZ FERNANDO VIANNAda Folha de S.Paulo, no Rio de Janeiro
Ana Carolina Fernandes/Folha Imagem
Chico Buarque no Circo Voador, no Rio, no showde encerramento da turnê 'Carioca', em maio de 2007

CHICO BUARQUE É MAIS LEMBRADO QUE EUCLYDES DA CUNHA , DIZ PESQUISA



Milton Hatoum, Rubem Fonseca e Chico Buarque estão entre os autores mais lembrados hoje por
estudiosos de literatura brasileira no exterior, à frente de nomes como Euclydes da Cunha
(1866-1909) e Manuel Bandeira (1886-1968).
Esse é um dos resultados iniciais de um mapeamento sobre como a produção literária do Brasil é
recebida em outros países.
Os primeiros números, aos quais a Folha teve acesso, serão divulgados hoje, na abertura do "2º
Conexões Itaú Cultural: Encontro Internacional de Literatura Brasileira", no Rio.
Danilo Verpa/Folha Imagem
Chico Buarque lê trecho do seu livro "Leite Derramado" durante mesa na 7ª edição da Flip, em
julho passado
Os coordenadores da pesquisa, Felipe José Lindoso e Claudiney Ferreira, enviaram, desde 2007,
questionários para mais de mil tradutores, pesquisadores e professores que se dedicam à
literatura brasileira no exterior.
Até o momento, 108 especialistas, com atuações em países como EUA (46%), Inglaterra (10,8%),
França (9,7%) e outros, responderam.
"Localizar os especialistas e receber as respostas é um trabalho que vai demorar anos, mas os
primeiros resultados já permitem ver diferenças na comparação com o último estudo do tipo", diz
Lindoso. Ele se refere a uma pesquisa realizada, nos anos 70, pelo crítico literário Roberto Reis.
Em texto de 1977, Reis anotava que "os poucos cursos de literatura brasileira no exterior são, via
de regra, panorâmicos, girando em torno de grandes figuras, como Machado". "Vale dizer que a
literatura contemporânea, predominantemente urbana, é totalmente ignorada", continuava o
crítico, notando que só o "exótico" e o "regionalista" eram estudados.
Machado de Assis ainda é o autor mais citado pelos estrangeiros (leia abaixo), mas a pesquisa
mostra um aumento no interesse pela literatura produzida a partir dos anos 80. Quase 70% dos
entrevistados têm interesse na produção contemporânea; só 5% disseram não ter (o restante não informou).
A falta de empenho do governo na criação de uma entidade para divulgar a literatura brasileira -
algo como o Instituto Goethe, da Alemanha, e o Cervantes, da Espanha- está entre os principais
problemas identificados.
A maioria dos tradutores, por exemplo, nem sabia que poderia pedir apoio à Fundação Biblioteca
Nacional.
O "Conexões" segue até quarta, com participação de pesquisadores e escritores como Hatoum,
Moacyr Scliar e Luiz Ruffato
30/11/2009 - 07h45RAQUEL COZERda Folha de S.Paulo

KAKÁ É ÚNICO BRASILEIRO ENTRE FINALISTAS DA BOLA DE OURO


KAKÁ SEGUE NO TOPO DO MUNDO
O Brasil tem agora apenas um representante entre os jogadores que concorrem ao tradicional
prêmio Bola de Ouro, concedido pela revista France Football.
Neste domingo, a publicação francesa revelou a lista dos dez finalistas, e o meia Kaká foi o único
brasileiro a permanecer de uma relação anterior de 30 nomes, divulgada no mês passado.
Além do jogador do Real Madrid, o português Cristiano Ronaldo, vencedor no ano passado e
companheiro de Kaká no time madrilenho também está na lista. No entanto, o grande favorito a
ficar com o prêmio é mesmo o argentino Lionel Messi, que tem a companhia de mais três atletas
do Barcelona entre os dez finalistas.
Junto de Kaká, Cristiano Ronaldo e Messi, também estão na lista Zlatan Ibrahimovic, Andrés
Iniesta e Xavi, todos do Barcelona, Didier Drogba, do Chelsea, Samuel Eto'o, da Inter de Milão,
Steven Gerrard, do Liverpool, e Wayne Rooney, do Manchester United.
Antes, os brasileiros Luís Fabiano e Júlio César também estavam entre os indicados.
Dos finalistas, apenas Cristiano Ronaldo e Kaká já ganharam o prêmio. O meia ficou com a Bola
de Ouro em 2007, quando ainda atuava pelo Milan.
Além de Kaká, outros três brasileiros já foram premiados. Ronaldo Fenômeno saiu vencedor em
1997 e 2002, enquanto Rivaldo ganhou em 1999 e Ronaldinho Gaúcho foi o melhor em 2005.
O vencedor da Bola de Ouro de 2009 será revelado na próxima terça-feira. Caso Messi confirme
o favoritismo e saia vencedor, será a primeira vez que um jogador argentino fica com o prêmio.
Agência EstadoREUTERS/Alessandro Bianchi

ENVOLVIDOS NA MÁFIA DAS AMBULÂNCIAS PERMANECEM SEM PUNIÇÃO



Os principais personagens de um dos escândalos que envolveu quase um quinto dos deputados e


centenas de prefeitos em todo o Brasil continuam livres e impunes.


Pelo menos em Minas Gerais não houve ainda qualquer condenação contra os ex-prefeitos,


funcionários públicos e empresários denunciados por envolvimento com a chamada máfia do s


sanguessugas, como ficou conhecida a quadrilha que, segundo investigações da Polícia Federal e


do Ministério Público, teria negociado cerca de 1 mil ambulâncias para 20 estados,


movimentando pelo menos R$ 100 milhões desde 1998.


A exceção é o ex-deputado federal Cabo Júlio (PMDB), condenado pela 7ª Vara da Justiça


Federal a devolver R$ 143 mil aos cofres públicos e pagar multa de três vezes o valor embolsado


do erário público, devido ao envolvimento com o esquema das ambulâncias. A decisão veio depois


de ação civil pública impetrada pelo Ministério Público Federal. É a primeira e até agora única


condenação desse caso em Minas Gerais, que começou a tramitar em 2006.


Conforme levantamento feito pelo Estado de Minas, já foram apresentadas pelo menos 21 ações


de improbidade administrativa contra os envolvidos. Em muitos casos, elas não viraram


processos de fato, pois a Justiça Federal ainda não decidiu se aceita ou não as denúncias dos


procuradores. Em outras, os processos ainda estão em fase de intimação dos acusados. Essa fase


inicial tem consumido quase um ano. A demora atrasa a suspensão dos direitos políticos dos


acusados caso eles sejam condenados e permite que concorram às eleições do ano que vem e


talvez também até em 2012, já que cabem recursos em todas as sentenças de primeira instância


e os condenados nessa fase não são impedidos de disputar eleições.


Uma representação criminal contra Maria das Graças Batista Falci Mota, a ex-prefeita de Divino


das Laranjeiras, no Vale do Rio Doce, a cerca de 400 quilômetros de Belo Horizonte, apresentada


em abril deste ano, está parada, pois até hoje a Justiça não conseguiu intimar a ex-


administradora da cidade. Ela já figura como indiciada em processo de improbidade por causa da


compra de uma ambulância da empresa Klass Comércio e Representação, acusada de atuar em


conluio com a Planam. Essa ação começou a tramitar em maio do ano passado e ainda está em


fase de análise pela Justiça Federal.


Um dos acusados nessa ação é o ex-deputado e hoje vereador em Belo Horizonte, Cabo Júlio


(PMDB), que deixou a câmara em 2006.


As denúncias contra três ex-prefeitos de Januária, no Norte de Minas - Josefino Lopes Viana,


Valdir Pimenta Ramos e João Ferreira Lima -, por envolvimento com irregularidades na compra


de ambulâncias, foi oferecida pelo Ministério Público há cinco meses. Até hoje não foi ainda nem


autuada, ou seja, não recebeu número e não começou a tramitar oficialmente.


Mesmo caso da denúncia contra o ex-prefeito de Delta, no Triângulo Mineiro, Jorge Manoel da


Silva. Ele foi denunciado pelo Ministério Público no dia 13.


Os ex-deputados Isaias Silvestre, José Militão e Osmânio foram denunciados este ano e seus


processos ainda estão em fase de notificação e apresentação prévia de defesa.


A mais adiantada é contra o vereador Cabo Júlio. A decisão veio depois de ação civil pública


impetrada pelo Ministério Público Federal em outubro de 2006. É a primeira e até agora única


condenação desse caso em Minas Gerais, mas não é definitiva, já que cabe recurso.


Demora leva a descrédito


O procurador do Ministério Público Federal, André de Vasconcelos Dias, entende que a demora


em julgar os envolvidos na caso da máfia das ambulância cria um clima de descrédito na


população e favorece a perpetuação de esquemas criminosos. Segundo ele, os desvios de recursos


envolvendo a compra de ambulâncias são uma “cosquinha” perto das denúncias que já vieram


depois da Operação Sanguessuga, alguns, como o caso João-de-barro (irregularidades em obras


de saneamento e do Programa de Aceleração do Crescimento - o PAC), mas mesmo assim


deveria ter tramitação mais célere por se tratar de fraude nacional que envolveu boa parte do


Congresso Nacional.


Ele defende que seja dada prioridade aos casos de improbidade, porque a população é quem


sofre com o desvio dos cofres públicos.


“Isso acaba virando um símbolo da impunidade”, alerta.


Alessandra Mello - Estado de Minas Publicação: 29/11/2009 07:58

domingo, 29 de novembro de 2009

JE T'AIME

CANDIDATO A PIOR GOL CONTRA DA HISTÓRIA

VENCEDORES DO PRÊMIO CIDADÃOS DO MUNDO 2009


Objetivo é destacar o que ONG’s, governo e cidadão estão fazendo em prol do desenvolvimento

sustentável no mundo, através de iniciativas sociais focadas na melhoria de vida das

comunidades nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, cultura, assistência social e outras

49 projetos inscritos, divididos em três categorias, passaram pela avaliação de seis jurados

Iniciativas que visam o bem estar da sociedade e que têm compromisso com a responsabilidade

social e ambiental foram novamente reconhecidas na 4º edição do Prêmio Cidadãos do Mundo

2009 realizado pelo HOJE EM DIA, por meio do caderno "Eu Acredito!".

A premiação acontece no próximo dia 1º de dezembro, durante o 6º Seminário Nacional do

Terceiro Setor em Minas Gerais, no Mercure Hotel. O objetivo da iniciativa é destacar o que

ONG’s, empresas, governos e cidadãos estão fazendo em prol do desenvolvimento sustentável e

da disseminação da cidadania em Minas e no Brasil, através de iniciativas sociais focadas na

melhoria de vida das comunidades nas áreas de saúde, educação, meio ambiente, cultura,

assistência social e outras.

Neste ano, foram 49 projetos inscritos, divididos em três categorias e que, passaram pela

avaliação de seis jurados, referências em responsabilidade social no Estado, na tarde de segunda-

feira (16) .

A comissão julgadora composta pela diretora da Associação Comercial de Minas, Angela Pace, o

professor da UFMG, Márcio Simeone, o engenheiro Ambientalista, Itamar Cabral, o secretário

Executivo do Comitê de Entidades do Combate à Fome pela Vida (COEP-MG), Ricardo Dinelli, o

procurador de Justiça e coordenador do Centro de Apoio ao Terceiro Setor (CAOT-S) do

Ministério Público de Minas Gerais, Tomáz de Aquino Rezende, o analista de Difusão Social do

Centro Mineiro de Aliança Sociais (Cemais/IGS), Pierre Menezes e o diretor da Fundação AVSI,

GianFranco Commodaro, debateu e avaliou todos os projetos e escolheu três vencedores em cada

modalidade.

Na Categoria I de Responsabilidade Social Empresarial ganhou,

em primeiro lugar, a “Escola de Formação Técnica – Unidade Fazendinha” do Instituto Metodista Izabela Hendrix.

em segundo lugar, “Polícia Presente: Crianças de Atitude da Polícia Militar” de Grão Mogol, no interior do Estado.

a terceira colocação ficou com o projeto “Via Turismo”, da Fundação Torino Escola Internacional.

Já na categoria II, que premia organizações do Terceiro Setor,

o primeiro lugar ficou com o projeto “Fornada” da Associação dos Pequenos Produtores

Agroartesanais de Brás Pires e Região (APPAB), idealizado pelo Instituto Xotopó.

em segundo o Projeto “Reciclar: Reciclando Vidas” do Conselho da Comunidade de Caeté / Fazenda de Ressocialização Reviver.

a terceira colocação ficou para a Associação Márcio Lubrimar de Assistência Social.

Na categoria III, que dá visibilidade às iniciativas cidadãs,

em primeiro lugar ficou o projeto Tocar e Sentir de Eni Vieira de Carvalho,

em segundo, o Programa de Desenvolvimento de Agricultura Urbana do Canteiro Cidadania.

no terceiro lugar, o projeto “Minha Escola Minha Vida”, da Escola Municipal Dr. Martim Paulucci,

desenvolvido pela professora Elaine de Paula Rocha.

O prêmio conta ainda com a categoria "Personagem Destaque", indicado pela comissão julgadora, como uma homenagem e reconhecimento ao trabalho desenvolvido na área de responsabilidade social.

Este ano a indicada foi Marisa Seoane Rio Resende, presidente do Centro Mineiro de Alianças Intersetoriais (CeMAIS), Coordenadora do Núcleo de Responsabilidade do Sistema Fiemg, além de membro atuante do “Movimento Nossa BH”.

Para conhecer melhor o Prêmio Cidadãos do Mundo e cada projeto agraciado, leia a edição de novembro do caderno "Eu Acredito!", publicado toda última quinta-feira do mês.

CAÊ CAINDO

Caetano cai de novo

Durante apresentação do show Zii e Zie, em Sampa, o cantor baiano se desequilibra no palco.


Para quem deu boas risadas . Caetano Veloso tomou tombo em um show em Brasília, aí vai outro: o cantor baiano se desequilibrou em uma apresentação que fez em São Paulo e caiu. Dessa vez, ele caiu no palco mesmo - e não do palco - e passa muito bem, obrigado.

ALÉCIO CUNHA VAI FICAR PARA SEMPRE NA MEMÓRIA


ALÉCIO CUNHA
Enterro do jornalista, morto no sábado (29), reuniu centenas de pessoas no Cemitério Parque da
Colina


O repórter e colunista do HOJE EM DIA sofreu um AVC em outubro deste ano
O jornalista Alécio Cunha, repórter, colunista e blogueiro do HOJE EM DIA, morreu na noite de sábado (29), aos 40 anos. Em coma desde 6 de outubro, por consequência de acidente vascular cerebral, o jornalista morreu no Hospital Vila da Serra.
O enterro, no final da tarde deste domingo (30), levou centenas de pessoas ao Cemitério Parque da Colina, entre familiares, amigos, jornalistas, intelectuais e artistas de várias áreas, que destacaram a perda insubstituível para a imprensa e para as artes de um dos mais expressivos repórteres culturais surgidos nos últimos 20 anos.
Mais que a dedicação incondicional ao trabalho e às questões do meio cultural, Alécio Cunha obteve destaque pela incomum capacidade de trafegar por todas as searas da cultura, que dominava com invejável competência. Começou no jornalismo como free-lance nas sucursais de revistas como Veja e IstoÉ e na redação do Jornal de Casa.
No caderno Cultura do HOJE EM DIA, desde o início da década passada, encontra o caminho definitivo para a meteórica trajetória como jornalista. Formado em Comunicação Social pela UFMG, em 1990, começou produzindo eventuais críticas de cinema. Aos poucos, sempre com eficiência notável, abraça outras seções, especialmente a literatura, especificamente a poesia. Ao leque de habilidades somam-se também as crônicas, que passa a publicar no jornal às terças-feiras.
Deixou textos inéditos e três livros publicados. A primeira edição foi “Lírica Caduca” (editora Por Ora, 1999), um admirável exercício de síntese - uma das características marcantes de seu trabalho como poeta. “Lírica Caduca” limita-se à apreciação de especialistas e intelectuais; trata-se de edição artesanal, idealizada em papel reciclável e dobrável em sanfona.

O título do segundo livro soa com ironia para quem conhece a memória máxima do jornalista. “Mínima Memória” (editora Scriptum, 2007) é caloroso reencontro com a terra-natal, a Boa Esperança dos tempos de grupo escolar, esmiuçada e reinventada na concisão em forma de haicai.
Essa impressa declaração de amor não fica sem resposta dos conterrâneos: a Academia de Letras de Boa Esperança consagra seu filho como imortal. Em março de 2008, Alécio Cunha retorna em grande estilo a Boa Esperança, acompanhado do filho João Antônio - hoje com oito anos, fruto do casamento com a jornalista Márcia Queiroz. De sua bibliografia constam também dezenas de participações em revistas, ensaios de artes plásticas, o texto do livro “Mario Mariano” (editora V&N, 2007), ensaio sobre o artista baiano, e a inclusão em coletâneas brasileiras e portuguesas.
De acordo com o jornalista Itamar de Oliveira, professor na UFMG, Alécio Cunha foi um dos alunos mais brilhantes de sua época. “Era um aluno incrível e destacado, o que já anunciava o profissional brilhante do jornalismo mineiro contemporâneo”. Já o músico Juarez Moreira destaca sua importância como agitador cultural e como crítico. “Não tenho palavras para expressar a qualidade do trabalho do Alécio e a importância que ele tem como agitador cultural e como crítico sempre antenado com o de melhor em cada área. Aprendi muito com ele e acho que o jornalismo cultural em Minas acaba de ficar um pouco mais pobre”, aponta o músico.
“Tenho muito orgulho de ter pintado um retrato do Alécio Cunha em 2001”, destaca o artista plástico Carlos Bracher, outro dos diletos amigos do jornalista. “Trata-se de pessoa absolutamente impressionante e extraordinária, tanto pela qualidade de seu trabalho quanto pela multiplicidade de interesses na criação e na tradução através de suas matérias jornalísticas de rara sensibilidade. Era um artista plural, atencioso com tudo e com todos, um ser humano privilegiado, um interlocutor extraordinário e com uma formação cultural que alcançava ampla gama de conhecimentos, da poesia à arquitetura, ao cinema, à filosofia, às artes plásticas”.
Para Bracher, sabedoria e generosidade são as características mais marcantes do trabalho e da personalidade de Alécio Cunha. “Perdemos um jornalista de talento único e um intelectual generoso, pródigo na difícil e muitas vezes incompreendida missão de relatar e enaltecer os feitos alheios. As pessoas sempre ficavam melhores do que eram e mais importantes em suas belas reportagens”, observa o artista. “Perdemos, sim, um mediador como poucos e um ser humano de primeira qualidade”, afirma.
“Era um trabalhador incansável da literatura e da arte das palavras. Deixa uma lacuna, um vazio para seus tantos leitores e seus admiradores de grandezas variadas”, lamenta Lyslei Nascimento, professora de literatura da UFMG. “Trabalhamos juntos em diversas ocasiões e sempre impressionava a todas as pessoas seu talento e uma intensidade que nunca vi em nenhum outro jornalista. Ele acompanhava tudo, sabia tudo, estava sempre presente em todos os lançamentos e estreias. Talento e intensidade são palavras-chave para definir Alécio Cunha”.
Uma das homenagens ao trabalho de Alécio Cunha como repórter de cultura e como escritor e poeta vai ao ar nos próximos dias pela Rede Minas de Televisão. A emissora produziu um perfil sobre seu trabalho que foi apresentado em maio, no programa “Imagem da Palavra”. De acordo com Luciano Alkmin, diretor da emissora, o programa deverá ser reeditado para ser exibido ainda nesta semana.
Roberto Mendonça e José Antônio Orlando - Editor-chefe e Repórter - 29/11/2009 08:52 MARCELO PRATES

PÂNICO

O ministro Hélio Costa autorizou a RedeTV!, sem consulta pública, a

utilizar o canal 59+ RTV de Salvador.

A autorização existe sob caráter excepcional e vai vigorar até que se

ultime a consulta pública.

Cláudio Humberto

HOJE EM DIA 29/11/2009


PRESIDENTE DA CAMÂRA DO DF GUARDA DINHEIRO NA MEIA

MUSEU DO BRINQUEDO IV

MUSEU DO BRINQUEDO III

MUSEU DO BRINQUEDO II

CORRENTE CONTRA O TAPETÃO DO JOBIM

Assista o Vídeo e passe adiante.

para ver o vídeo clique aqui

COMISSÃO DE VERDADE E JUSTIÇA

Em dezembro de 2008 o Ministério da Defesa não conseguiu excluir a criação da Comissão de

Verdade e Justiça do Relatório Final da Conferência Nacional de Direitos Humanos, o Ministro

Nelson Jobim quer agora, nas vésperas do lançamento do 3º Plano Nacional de Direitos

Humanos, ganhar no tapetão.

São estas praticas anti-democráticas, da imposição, da pressão por cima, do não respeitar

decisões contrárias em processos construídos de forma participativa e democrática, que

queremos transformadas pela cultura do NUNCA MAIS.

No Grupo de Trabalho, em 17 de dezembro, o Ministério da Defesa apresentou através de 2

delegados, a proposta de exclusão do assunto da pauta, seu destaque foi votado e 94% dos

delegados presentes, tiveram o entendimento que é necessário ao país uma atitude frente ao seu

passado recente para melhor construir a democracia em nossa sociedade e votaram pela criação

da COMISSÃO DE VERDADE E JUSTIÇA, decisão que deve ser respeitada e encaminhada pelo

governo no 3º Plano Nacional de Direitos Humanos, como todas as outras questões deliberadas

pelos demais grupos de trabalho da conferência nacional.

TAPETÃO NÃO

Num total desrespeito às decisões do trabalho coletivo de milhares de brasileiros, que

participaram do processo democrático de construção da Conferência e seu Relatório Final, o

ministro Nelson Jobim quer mudar o nome da comissão, substituindo JUSTIÇA por

RECONCILIAÇÃO, buscando desfocar os objetivos propostos e modificar o conceito votado, para

prevalecer o esquecimento e a impunidade dos torturadores da ditadura militar de 1964-1985.

Atue contra o tapetão do Jobim, em favor da democracia e da Comissão de Verdade e Justiça.

Denuncie em suas redes repassando este email para seus contatos e listas.

Encaminhe email para o Presidente Lula com cópia para o Ministro Paulo Vannuchi, solicitando

que seja respeitada as deliberações sobre a Comissão de Verdade e Justiça, aprovadas para o 3º

Plano Nacional de Direitos Humanos. para enviar clique aqui ou envie para

gabpr@planalto.gov.br c/c para paulo.vannuchi@sedh.gov.br e
mzelic@uol.com.br

Participe do Comitê Contra a Anistia aos Torturadores da Ditadura Militar.

informações:

comiteadpf153@gmail.com


Atenciosamente,

Marcelo Zelic
Vice-presidente do Grupo Tortura Nunca Mais-SP e membro da Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo
Coordenador do Projeto Armazém Memória
(11) 3052-2141 (11) 9206-9284

www.armazemmemoria.com.brmzelic@uol.com.br


Exmos
Sr. Presidente da República
Sra Ministra-Chefe da Casa Civil
Sr. Ministro da Justiça
Sr. Ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência



Nosso país sofre diariamente violações dos Direitos Humanos e este fato atinge o conjunto da

sociedade, nos atinge como cidadãos. Esta prática violatória não pode e não deve ser

naturalizada.

Entendemos que um forte motivo do agravamento deste quadro nos dias atuais - momento em

que a repressão policial se dirige de forma brutal aos pobres deste país - deve-se ao processo de

silenciamento sobre o que aconteceu e a não responsabilização dos torturadores e assassinos.

O silenciamento sobre os crimes da ditadura fomentou - e continua fomentando - o sentimento

de impunidade, intensificando a violência.

É preciso que os que cometeram - e ainda hoje cometem - crimes de lesa humanidade sejam

responsabilizados por seus atos. Para que avancemos mais e mais na construção de uma

sociedade justa e democrática é preciso Memória, Verdade e Justiça!

Queremos que seja respeitada a deliberação do grupo de trabalho encarregado deste tema

('Direito à Memória e à Verdade') da última Conferência Nacional de Direitos Humanos, realizada

em Brasília em 2009; urge a criação da Comissão de Verdade e Justiça, aprovada para o 3º Plano

Nacional de Direitos Humanos.

Atenciosamente,

....nomes......CPF.........


Para:

protocolo@planalto.gov.br,gabpr@planalto.gov.br

c/c para:

casacivil@planalto.gov.br

Ministro Tarso Genro

paulo.vannuchi@sedh.gov.b


secom@planalto.gov.mzelic@uol.com.br

MUSEU DOS BRINQUEDOS I


Um espaço para brincadeiras e cheio de história. Esse é o Museu dos Brinquedos, inaugurado em
2000, em Belo Horizonte, a partir da coleção particular de brinquedos de Luiza Azevedo Meyer.
O objetivo da colecionadora era montar um espaço para preservar a história dos brinquedos e, ao
mesmo tempo, oferecer atividades culturais e educacionais a crianças, jovens, educadores e
pesquisadores.
Com esse propósito, após sua morte o Museu dos Brinquedos foi criado pela família e se tornou o
único do gênero no país.

O espaço, tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico, armazena brinquedos de
várias épocas e países, incluindo peças raras de grandes personalidades de séculos passados. São
realizadas visitas monitoradas de instituições de ensino, estudantes, turistas e famílias.
Além de expor os brinquedos, o Museu passa para o visitante toda a história do acervo e a
importância que cada um dos sete mil itens tem para o contexto social da época em que foi
produzido.


Cerca de dois mil visitantes passam pelo Museu todos os meses. Seu acervo já foi exibido em
centros comerciais e de pesquisa e, por onde passa, atrai olhares curiosos de crianças e adultos.

Pela importância desse trabalho de resgate aos valores e da preservação de bens imateriais, o
Mercantil do Brasil se tornou parceiro do Museu dos Brinquedos em 2008, patrocinando o
inventário do acervo, que vai possibilitar a catalogação de todos os brinquedos, além da
disponibilização dos itens na internet como fonte de consulta.


Luiza Azevedo Meyer

Nascida em São João Del Rei, interior de Minas Gerais, Luiza Azevedo Meyer foi filha de pais
comerciantes, mãe de 10 filhos, avó de 22 netos e apaixonada por brinquedos. Ao logo da vida,
colecionou mais de 3000 brinquedos e, após seu falecimento, foi criado o Museu dos Brinquedos,
pertencente ao Instituto Cultural “Luíza de Azevedo Meyer”, centro sem fins lucrativos que
apóia e promove iniciativas no campo do desenvolvimento cultural e educacional de crianças,
adolescentes e adultos.

Localização:
Av. Afonso Pena, 2564 - Funcionários
Funcionamento:
de segunda a sexta-feira,
das 9h às 17h e aos sábados e feriados de 10h às 17h .

Para maiores informações visite o site:

Museu dos Brinquedos Brasil

O EX - GUERRILHEIRO PEPE MUJICA VENCE AS ELEIÇÕES NO URUGUAI


MONTEVIDEU, Uruguai (AFP) -
O ex-guerrilheiro José 'Pepe' Mujica venceu neste domingo as eleições presidenciais uruguaias
com um pouco mais de 51% dos votos contra 44% para seu adversário, o ex-presidente liberal
Luis Lacalle, segundo projeções de várias pesquisas de boca-de-urna.

Mujica, 74 anos, se converte assim no segundo guerrilheiro latino-americano a chegar ao poder
pelas urnas, depois de Daniel Ortega, na Nicarágua.
No discurso ante seus partidários, Mujica proclamou que não há "nem vencidos nem vencedores"
e se mostrou conciliador para com os partidos opositores.
"É o mundo do revés, aqui deveriam estar vocês e nós aplaudindo porque esta batalha foi
travada por vocês", afirmou.
"Mas também recordemos que há compatriotas que estão tristes e que são nossos irmãos de
sangue, e por isso não há nem vencidos nem vencedores!", proclamou.
"Apenas elegemos um governo que não é dono da verdade, que precisa de todos vocês", afirmou
ainda, estendendo seu reconhecimento a todas as coletividades políticas: o Partido Nacional
(centro-direita), de seu oponente, o ex-presidente Lacalle; o Partido Colorado (centro-direita) e
o Partido Independente (centro-esquerda).
"Meu reconhecimento ao dr. Lacalle, (a Jorge) Larrañaga (candidato a vice do Partido Nacional),
companheiro senador, meu reconhecimento e, se em algum momento meu temperamento de
combatente fez minha língua ir muito longe, minhas desculpas", afirmou, visivelmente
emocionado.
Também saudou os "irmãos da América Latina, os que representam bem, mal ou regularmente
as esperanças frustradas de um continente que tenta se unir como pode; todos nos ligaram para
nos dar um abraço, obrigado, irmãos".
Mujica conseguiu 51% dos votos, contra 44% de Lacalle, segundo o instituto Factum,
porcentagens similares a de outra empresa - Cifra -, que também dá 51% ao ex-guerrilheiro e
44% ao ex-chefe de Estado.
Por sua parte, a Equipos dá 50% dos votos a Mujica e 46% a Lacalle.
Assim que foram divulgados os primeiros resultados, Lacalle admitiu sua derrota e, falando aos
partidários, destacou que o atual presidente Tabaré Vázquez ligou para parabenizá-lo.
"Fora as divergências entre nós, o presidente fortaleceu o conceito de democracia e país, como o
fará o senador José Mujica, que regerá os destinos a partir de 1o. de março de 2010".
"Digo, sustento e proclamo a todos os que nos quiserem ouvir e em nome do um milhão de
pessoas que votou em nós, que seremos soldados da liberdade, custódios das instituições e
defensores das leis", concluiu.
O atual presidente, Tabaré Vázquez, festejou com um abraço a vitória de seu candidato e pediu
que a "calma, o respeito e a tolerância devem acompanhar todos os uruguaios no que deve ser
um festejo geral".
Candidato da coalizão de governo Frente Ampla (FA), Mujica foi recebido pelos simpatizantes
com fogos de artifício no momento em que foi votar durante a manhã.
No entanto, o candidato se mostrou pouco entusiasmado com o ato.
"Isto não tem emoção, a esta altura é como dançar com a irmã", declarou, acrescentando que
dedicava o voto "a amigos e amigas que já não estão aqui".
De fato, havia menos fervor nas ruas neste segundo turno, ao contrário do que foi registrado no
primeiro, em 25 de outubro.
Lacalle, de 68 anos, disputando pelo Partido Nacional (PN, centro-direita), ao votar durante a
tarde, falou de sua intenção de "construir a unidade entre os uruguaios e manter a tolerância
qualquer que seja o resultado das eleições".
Ao deixar sua seção eleitoral, foi vaiado por simpatizantes da FA e defendido pelos eleitores do
PN, que em resposta gritaram "assassinos" para aludir ao passado guerrilheiro de Mujica.
Convicto de que derrotaria Lacalle, Mujica foi para o segundo turno já pensando na composição
de seu governo e em fechar acordos com a oposição, apesar de seu partido ter toda chance de
alcançar a maioria parlamentar.
Além de garantir que seu companheiro de chapa, Danilo Astori, se encarregue da gestão
econômica, Mujica mostrou-se disposto a negociar acordos com a oposição sobre alguns temas -
educação, segurança, energia e meio ambiente -, e a oferecer alguns ministérios.
Mujica confirmou neste domingo que deseja um acordo com a oposição.
"Ter votos a mais não significa que sejamos donos da sociedade, muito menos que nossa verdade
seja imaculada", declarou o candidato.
O temor das autoridades por conta das previsões de fortes chuvas, o que segundo o ministro da
Corte Eleitoral Edgardo Martínez Zimarioff fez com que algumas seções em zonas rurais,
afetadas por inundações, abrissem e fechassem um pouco mais tarde.
As chuvas que afetam o país há 10 dias já obrigaram mais de 6.000 pessoas a abandonar suas
casas.
No meio da tarde, a participação dos eleitores se situava entre 68% e 85%, segundo dados
preliminares do Tribunal Eleitoral.
As Forças Armadas acompanharam o processo para garantir a segurança e o transporte do
material e dos funcionários eleitorais às áreas inundadas.

O CESTO E A AGUA

SOBRE AMOR, ROSAS E ESPINHOS

O PODER DO SILÊNCIO

A BORBOLETA E O CAVALINHO

MEU DEUS